A importância dos Backups | Blog PTisp

A importância dos Backups

by picado

Quanto vale a informação do seu negócio?

Na era do Big Data a segurança e acessibilidade dos dados informáticos é um dos ativos mais importantes de uma organização. É fundamental garantir uma política de backups e de Disaster Recovery (DR) claramente definida, implementada e monitorizada. A este propósito é importante referir que um dos pontos fundamentais numa política de backups é garantir que os dados são armazenados numa localização geográfica distante do seu Datacenter ou servidor. Assim, em caso de falha da infraestrutura local, a sua informação pode ser recuperada.

 

Ante de mais, sabe o que é um backup?

Um backup corresponde a uma cópia parcial ou integral de todos os seus ficheiros importantes , tais como fotos, contactos, emails, documentos de negócio, bases de dados ou outros ficheiros relevantes. Ainda que os tenha sempre armazenados no seu servidor, computador ou telemóvel, deve manter uma cópia de segurança remota, segura e sempre acessível.

Backups File-level VS Block-Level

  • Backups de file-level: são desenhados para sistemas onde a quantidade de informação é mais reduzida. Estes backups têm a vantagem de ser mais simples e granulares, permitindo repor de forma mais simples e granular os dados armazenados. Os backups de file-level são incrementais, copiando apenas dados novos ou alterados após o último backup. Conjugados com ferramentas que monitorizam a performance dos servidores, permitem efectuar backups seguros e consistentes que podem ser acedidos de forma granular.
  • Backups block-level são efectuados directamente nos blocks do disco ou volume e abaixo dos sistema operativo. Por serem incrementais, copiam apenas a informação modificada permitindo em alguns casos criar snapshots. Por funcionarem abaixo do sistema operativo são por norma mais abrangentes a nível de sistema operativo e têm uma performance superior. Como desvantagem temos o facto de em alguns casos não permitir um acesso e restore tão granular aos dados individuais existentes no backup do disco ou volume. Também num processo de Disaster-Recovery não permite uma reposição individual dos conteúdos, tendo de aguardar pela reposição integral do backup.

 

Porque deve efetuar backups? Sabe quais os motivos mais comuns para perda de dados?

Todos os dias trabalhamos com informação, quer seja a nível pessoal, quer seja a nível profissional. O que aconteceria se subitamente perdesse a informação existente no seu computador ou no servidor? A perda ou impossibilidade de aceder a informação crítica de um negócio, poderá coloca em causa a sua atividade e, em alguns casos, a sua viabilidade.

  1. Falhas de Hardware: As falhas de hardware podem levar a perda dos conteúdos alojados nos servidores ou em workstations. Mesmo que os conteúdos em equipamentos redundantes, por exemplo, com RAID, existe sempre a possibilidade de perda de dados.
  2. Ação humana: Quer seja por erro humano onde se apaga dados válidos, quer seja por acção maliciosa e intencional ou assaltos, são imensas as situações que podem levar à perda de dados.
  3. Ataques informáticos: Os ataques de ransomware têm aumentado cada vez mais e colocam em causa a segurança dos dados. Uma das principais formas de recuperação destes ataques passa pela existência de backups atualizados e que permitam aceder rapidamente aos dados. Estima-se também que, a cada 10 segundos, existe um dispositivo atingido por ataques de ransomware.
  4. Desastres naturais: São uma variável incontrolável, seja por uma cheia, terramoto, entre outras ameaças naturais, a destruição de dados é uma ameaça real nestas situações.

Por isso, a existência de backups e de um plano de alta-disponibilidade e/ou de Disaster-Recovery é fundamental para salvaguardar a informação imprescindível para o seu negócio, permitindo-lhe responder a um incidente que leve à perda de informação de forma definida rápida.

 

Como é definida a política de backups? RTO e RPO, o que é?

Os indicadores RTO e RPO são usados para definir um sistema de backups, refletindo a importância que um incidente na infraestrutura tem na continuidade de negócio e sobrevivência da organização.

  • RTO (Recovery Time Objective) – Refere-se ao período de tempo em que os serviços de uma organização podem estar indisponíveis sem prejudicar a continuidade do seu negócio. Em termos práticos, o RTO é o tempo que leva a repor os sistemas e dados de uma organização em caso de falha.
  • RPO (Recovery Point Objective) – Refere-se ao volume de dados ou de informação que podem ser perdidos durante um incidente. Idealmente, o RPO deverá ser zero, ou seja, nenhum dados deve ser perdido. Para tal, é fundamental haver um plano de Disaster Recovery ou de Alta-Disponibilidade. Quanto ao RPO é a quantidade de informação podemos perder em caso de falha.

Como posso fazer Backups?

A PTisp disponibiliza soluções de backup que lhe permitem proteger os seus dados, armazenando-os nos nossos Datacenter localizados em Portugal e Espanha.

Os dados são armazenados em servidores totalmente redundantes, sem limite de tráfego e totalmente encriptados.

Poderá definir uma política de backups de acordo com as suas necessidades, em horas específicas e tantas vezes ao dia quantas desejar, protegendo apenas conteúdos específicos ou a totalidade da informação existente no servidor ou computador.

Pretende uma análise das necessidades da sua empresa?

Contacte-nos, temos várias soluções à medida.

Translate »